domingo, 6 de dezembro de 2009

Dança Batuque

Neste post iremos nos afastar um pouco dos costumes afro brasileiros no Nordeste e vamos mostrar que em outras regiões também é possível encontrar influências africanas. Iremos mostrar a criação da dança Batuque, e em quais estados ela está presente atualmente.

Batuque era uma dança que compunha um ritual de fertilidade, que veio para o Brasil no período colonial junto com os negros africanos. Nessa época, os portugueses consideravam batuque qualquer tipo de dança praticada pela comunidade negra. Na região Norte, o Batuque enraizou-se principalmente no Pará e no Amazonas, onde a palavra batuque também serve para designar práticas religiosas afro brasileiras.

Hoje, no Rio Grande do Sul, o batuque é conhecido como uma cerimônia religiosa muito semelhante ao candomblé baiano ou a macumba carioca ou paulista. Já no estado de São Paulo é dança de terreiro, onde estão presentes os "membranofônicos": tambu, quinjengue ou mulemba, e os idiofônicos: matraca e guaiá. A região batuqueira paulista localiza-se no vale do Médio Tiête, abrangendo alguns municípios como Tiête, Porto Feliz, Laranjal, Pereiras, Capivari, Botucatu, Piracicaba, Limeira, Rio Claro, São Pedro, Itú, Tatuí. Em Campinas era chamado caiumba, segundo registros de Carlos Gomes.

Em Botucatu, até 1920 havia os batuques no Largo do Rosário, no dia 13 de maio. Em são Carlos ficaram famosos os batuques do Cinzeiro, o bairro da Bola Preta, por causa da população negra e pobre que ali residia.

Batuque e samba tornaram-se dois termos generalizados para designar a dança profana dos negros, no Brasil. Mas em outros pontos, tomavam designações regionais, por influência desta ou daquela tribo negra, que forneceu um maior contingente de escravos a esses pontos.


Assista abaixo 2 vídeos referentes ao batuque paulista:





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário